Envelhecimento- causas e tratamento

Os principais sinais do envelhecimento são as rugas, hipercromias, pele seca, perda de luminosidade e flacidez. Esses sinais são conseqüências do processo fisiológico de declínio das funções do tecido conjuntivo, no qual o colágeno vai tornando-se mais rígido, com uma porcentagem perdida anualmente e uma diminuição no número de fibras elásticas perdem força pela diminuição da elasticidade, redução da água hidratação)que por sua vez, diminui a adesão e desenvolvimento celular. Essa decadência do tecido conjuntivo impossibilita a manutenção de uma camada de gordura uniforme sobre a pele, e a degeneração das fibras elásticas, somada à menor velocidade de troca e oxigenação dos tecidos, leva a uma desidratação da pele, resultando em rugas.

Classificacao:

As rugas podem ser: superficiais e profundas. As superficiais são aquelas que desaparecem com o estiramento da pele, diferindo das profundas que não sofrem alteração quando a pele é estirada.

As rugas recebem ainda outra classificação: rugas estáticas, dinâmicas e gravitacionais. As estáticas são conseqüências da fadiga das estruturas que constituem a pele, em decorrência da repetição dos movimentos e aparecem mesmo na ausência deles. As dinâmicas ou linhas de expressão surgem como conseqüência de movimentos repetitivos da mímica facial e aparecem com o movimento. Já as rugas gravitacionais são conseqüentes da flacidez da pele, culminando com a ptose das estruturas da face.
 

Varia do tipo I ou tipo IV. A sua escala fornece os seguintes parâmetros para avaliação:
Tipo I: mínimas rugas, fotoenvelhecimento inicial, alteração suave na pigmentação, ausência de queratoses ou lentigos senis(manchas de envelhecimento) acomete pessoas dos 20 aos 30 anos. 

Tipo II: a pele permanece lisa na ausência de movimentos, mas durante a movimentação (sorriso, franzir a testa etc) as rugas aparecem, presença de lentigos senis e telangectasias inicias, mas não possui queratoses visíveis; acomete pessoas dos 30 aos 40 anos.
Tipo III: rugas visíveis mesmo na ausência de movimentação, presença de lentigos senis, telangectasias e queratoses solares; acomete pessoas acima dos 50 anos.
Tipo IV: rugas generalizadas, diminuição da espessura da epiderme, pele com coloração amarelo-acizentado (pelo aumento da espessura da camada córnea), acomete pessoas acima de 60 anos. 

Tratamentos:

Os tratamento do envelhecimento facial têm avançado muito nos últimos anos, oferecendo muitas opções para melhorar a aparência das linhas de expressão e das rugas. Grande parte das técnicas não são invasivas como Luz pulsada , carbon peeling, peeling quimicos ou mecanicos, fractional, etc ,portanto não exigem interrupção do trabalho e da vida social pela sua rápida recuperação, como exemplo o mais famoso e o Ulthera Hifu, pois o procedimento esse ultrassom micro focado entrega pontos de coagulação térmica (PCT) em uma série de linhas em 3 profundidades:
* derme superficial, a 1,5mm de profundidade
* derme profunda, a 3mm de profundidade
* e na camada muscular – SMAS (sistema músculo aponeurótico) a 4,5 milímetros de profundidade.
A energia de ultrassom é focada em um ponto abaixo da superfície da pele, concentrando-se em uma área de cerca de 1mm cúbico por ponto, provocando a contração imediata do colágeno. Esse intenso ataque de ultrassom dá início a síntese de colágeno novo, enquanto o tecido retrai e fica mais firme.
Logo após o tratamento a epiderme (superfície da pele) não fica marcada, por isso não há restrições a exposição solar e a rotina de trabalho.
A tecnologia HIFU permite tratar todo tipo de pele, clara ou negra, diferente dos lasers, que tem restrições à pele negra. E permite tratar flacidez em qualquer época do ano, verão ou inverno. Diferente de outros tratamentos Ou laseres, que penetram na pele de fora para dentro, o HIFU ignora a superfície da pele e age especificamente nos tecidos profundos estruturais da pele. O equipamento utiliza a energia baseada na profundidade que o ultrassom micro focado atinge para estimular as camadas profundas de suporte estruturais da pele, incluindo aquelas tipicamente abordadas em um restauro cirúrgico, sem afetar a superfície da pele.
RESULTADO

Os resultados se desdobrarão ao longo de 2-3 meses e alguns pacientes relataram melhora contínua por até 6 meses. Embora o ultrassom focado não duplique os resultados da cirurgia, Ulthera provou ser uma alternativa atraente para aqueles que não querem passar por uma cirurgia. 

jason sydenham